Vigilância Tecnológica

K 2016 – 19 a 26 de outubro de 2016

A indústria internacional de plásticos e borrachas tem-se destacado fortemente, muito por causa do crescimento global deste mercado no que respeita à inovação e consequente criação de valor acrescentado nos produtos desenvolvidos. A extraordinária situação económica deste setor e as perspetivas positivas para o futuro caracterizaram a maior feira mundial da indústria tendo, por isso, sido criado um excelente clima entre os 3.285 expositores da K 2016 em Düsseldorf, que decorreu de 19 a 26 de outubro

A Plataforma Internacional Fibrenamics, juntamente com dois dos seus parceiros, a Fibrauto e a Sonae, esteve presente na edição de 2016 da K com o intuito de explorar este setor e saber quais as oportunidades de inovação a ele inerentes. Nesta ótica, e segundo Carlos Mota, investigador da Fibrenamics presente neste evento, a “Fibrenamics teve a oportunidade de beber conhecimento de um dos maiores eventos mundiais sobre termoplásticos, onde os materiais, processos e produtos apresentados terão imenso interesse para os projetos de investigação e desenvolvimento, uma vez que o conhecimento que aportamos aos projetos é o reforço com fibras sintéticas ou naturais de matrizes poliméricas .”.

Materiais, sustentabilidade e eficiência dos equipamentos foram os grandes temas em destaque na edição de 2016 da K.

Com esta participação foi possível à Fibrenamics estar em contacto direto com as matérias-primas e processos mais avançados, tendo-se verificado:

  • um grande avanço das propriedades e na disponibilidade de plásticos biodegradáveis sem impacto ambiental no final do ciclo de vida e nas propriedades das matérias-primas termoplásticas;
  • uma evolução na aditivação para baixar o ponto de fusão do termoplástico, sendo por isso um grande avanço para a compatibilização com as fibras naturais e aumento da eficiência energética no processo de transformação;
  • a apresentação de inúmeros aditivos para corresponder cada vez mais e melhor às especificações do mercado;
  • uma aposta clara em equipamentos para reciclagem de plásticos;
  • um maior número de fornecedores de matéria-prima de plástico reciclado;
  • um crescimento claro em processos customizados para o processamento de pequenas séries em moldação por compressão;
  • e uma automatização completa com robôs nas linhas de processamento em grande escala.

“Sem dúvida que a participação na K2016 foi uma grande fonte de conhecimento e de importantes contactos, que se irão refletir nos projetos I&D que levamos e levaremos a cabo” conclui Carlos Mota.

Na K2016 estiveram presentes 230.00 participantes, oriundos de 160 países, sendo a grande maioria profissionais dos setores da construção, automóvel, embalagem, eletricidade/eletrónica, agricultura.

A próxima edição desta feira decorrerá de 16 a 23 de outubro de 2019 em Düsseldorf, na Alemanha.

K 2016