Mensagem editorial

Raul Fangueiro – Coordenador da Plataforma Fibrenamics

O mercado desportivo global tem crescido sustentadamente ao longo dos últimos anos, sendo que, segundo a A.T. Kearney, cresceu cerca de 6% de 2005 a 2009, cerca de 7% de 2009 a 2013 e 5% de 2013 a 2017, valendo atualmente, nas suas diversas vertentes, cerca de 350 biliões de euros. Por outro lado, verifica-se igualmente que este crescimento tem sido mais acentuado nos blocos geográficos europeu e norte americano. A prática desportiva generalizou-se, sendo que as caraterísticas dos praticantes são cada vez mais heterogéneas, com especial enfoque para o alargamento da faixa etária, incluindo praticantes muito jovens e idosos.

As fibras e as estruturas e produtos fibrosos têm assumido um papel preponderante em todo este mercado generalizado, respondendo com enorme eficácia e elevado grau de inovação aos anseios, cada vez mais exigentes, dos praticantes de diversas modalidades, colocando à sua disposição um conjunto de soluções de elevada tecnicidade, especialmente “engenheiradas” para as mais adversas situações de utilização, considerando a interação com o atleta e com o meio ambiente que o rodeia durante a prática desportiva. No desporto de alta competição, o desempenho do equipamento e do vestuário utilizados, pode, em diversas situações, representar a diferença entre ganhar ou perder, tal como ficou já demonstrado em diversas competições, especialmente em Jogos Olímpicos.

No futuro, espera-se que estes materiais possam contribuir fortemente para recolha em tempo real de parâmetros associados à medição da performance e do estado de fadiga dos atletas, através de uma nova geração de equipamentos e vestuário desportivo verdadeiramente inteligente, capaz de monitorizar, tratar a informação e atuar de acordo com as exigências específicas de cada atleta, da modalidade em causa e do meio ambiente em que é praticada. Por outro lado, espera-se que estes equipamentos e vestuário hi-tech contribua decisivamente para a prevenção e tratamento de lesões, através da utilização de estruturas fibrosas funcionalizadas com capacidade de proteger e de libertar substâncias ativas em função da necessidade.

Nesta edição da Newsletter Fibrenamics recolhemos a opinião da Maria Almeida, CEO na empresa Coach Mental & PNL, que aborda a preparação de atletas sob o ponto de vista mental como meio fundamental para a obtenção de bons resultados desportivos. Por outro lado, apresenta-se as competências do nosso parceiro CIDESD – Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano, que tem desempenhado um papel relevante na monitoração, preparação e avaliação de performance de atletas em diversas atividades desportivas. Apresenta-se ainda a International Sports Convention, que decorreu de 7 e 8 de dezembro de 2016, em Genebra, na rubrica Vigilância Tecnológica. No que respeita à Fibrenamics Azores, é explorado o potencial da fibra do ananás, e na nova rubrica Fibrenamics Green fazemos uma descrição do que foi a participação da Fibrenamics na Semana Europeia para a Prevenção de Resíduos, que decorreu em Guimarães, de 19 a 27 de novembro.

Fibre the Future!
Raul Fangueiro

Raul Fangueiro