Fibrenamics Green

Inovação com Resíduos

O design e engenharia como impulsionadores da inovação no desenvolvimento de produtos com base em resíduos foi o tema central do workshop ‘Fibrenamics Green: Inovação com Resíduos’, que decorreu na OLIVA Creative Factory, em São João da Madeira, a 27 de janeiro.

As alterações climáticas são um problema da responsabilidade de todos – não só da sociedade como das indústrias e universidades – como tal, é urgente encontrar-se soluções conjuntas para os problemas ambientais que atualmente o planeta está sujeito. Foi nesse sentido que surgiu o projeto Fibrenamics Green, com o propósito de apresentar uma resposta sustentável para o problema dos resíduos industriais.

A plataforma para o desenvolvimento de produtos inovadores com base em resíduos Fibrenamics Green foi apresentada por Carlos Almeida, onde abordou o impacto dos resíduos na economia nacional e global, e a urgência em se incorporar os materiais num modelo de economia circular, em que os resíduos são devolvidos ao ciclo produtivo através da reutilização, recuperação e reciclagem. Neste sentido, o design e engenharia do produto assumem um papel preponderante como ativadores do desenvolvimento de produtos inovadores com base em resíduos.

Neste evento foi também apresentado o caso de sustentabilidade empresarial da SPAL Porcelanas, uma empresa com mais de 50 anos que promove o design, a inovação e a qualidade como parte integrante da cultura empresarial. Ana Figueiredo apresentou algumas das boas-práticas sustentáveis da organização, como a utilização de recursos naturais, reciclagem de resíduos e planos de eficiência energética.
Ao longo do tempo, a SPAL Porcelanas tem vindo a comunicar e implementar a política dos 3R’s (reduzir, reutilizar, reciclar) e apostar cada vez mais no eco-design, sendo exemplo a linha Remade in Portugal, um projeto com origem em 2007 que procura incentivar à criação e desenvolvimento de produtos cuja composição integre uma percentagem mínima de 50% de matéria proveniente de processos de reciclagem.

A valorização de resíduos para gerar novos produtos, novos negócios e o reforço da credibilidade empresarial foi o tema da apresentação de Fernando Merino, da ERT Têxtil Portugal, empresa especializada na produção de têxteis técnicos.
Com especial destaque para a sustentabilidade como vantagem competitiva das organizações nas estratégias corporativas, modelos de negócio e cadeias de valor, a inovação, quer seja pelo desenvolvimento e implementação de novos produtos, serviços, processos ou modelos de negócios, assume-se como o veículo de criação de valor e retorno financeiro para as organizações.

O workshop ‘Fibrenamics Green: Inovação com Resíduos – Design e Engenharia de Produto’ contou também com a participação de Paulo Bago de Uva. O professor da Universidade de Aveiro apresentou exemplos de produtos inovadores onde foram aplicados os princípios do eco-design e da sustentabilidade. Uma demonstração de tendências das indústrias criativas no panorama nacional e internacional.

A segunda parte do workshop foi dedicada a uma sessão de Networking Tecnológico durante a visita à exposição [D]IN Design na Inovação Industrial (ERT Têxtil) e Fibrenamics Green “Do Resíduo ao Produto”. Um momento de interação, que contou com uma extensa partilha de experiências entre os elementos presentes sobre o papel da ciência e tecnologia na valorização de resíduos.

O projeto Fibrenamics Green – Plataforma para o Desenvolvimento de Produtos com base em resíduos é cofinanciado pela União Europeia através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, enquadrado no NORTE 2020 – Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 com um custo total elegível de 552.856,83€, apoio financeiro da EU de 469.928,31€ e autofinanciamento de 82.928,52€.

Norte2020, Portugal2020, União Europeia, CVR, Fibrenamics, Universidade do Minho
Fibrenamics Green Inovação com Resíduos